quarta-feira, 7 de julho de 2021

Exposição "À Volta do Mundo"

 

Texto de Sandra Mendes

Coordenadora do Projeto "Rede de Escolas Associadas da UNESCO - AE Bemposta"

A Exposição sobre a 1ª Viagem de Circumnavegação de Fernão de Magalhães foi montada pelos alunos da turma 5ºC da EBS da Bemposta, que também colaboraram na elaboração de instrumentos de navegação, tal como as turmas 5ºA, B e E da mesma escola.

Esta exposição foi montada (e desmontada) em 3 escolas do nosso Agrupamento durante os meses de maio a julho, pelas professoras da Equipa de Projetos/Bibliotecárias.
A Exposição "À Volta do Mundo" tem desenhos realizados pelos alunos das turmas do 4º ano das escolas EB1 de Alvor, EB1 Montes de Alvor e EB José Sobral, após terem tido uma sessão sobre a UNESCO e a 1ª Viagem de Circumnavegação de Fernão de Magalhães com a professora coordenadora do projeto Rede de Escolas Associadas da UNESCO. A turma do 4º ano da EB José Sobral também realizou outros trabalhos sobre Fernão de Magalhães.

 EBS da Bemposta

 EB 2,3 D. João II - Alvor

  EB José Sobral - Mexilhoeira Grande


O vídeo da exposição "À Volta do Mundo" está disponível no canal do Youtube da Equipa de Projetos, no site da UNESCO e no projeto eTwinning "Blue School": 






sexta-feira, 2 de julho de 2021

Entrevista a Mariano Gato

Texto: Rita Vitorino  (8ºA EBS da Bemposta)



Mariano Gato, 71 anos, empresário/hoteleiro, tinha 23 anos quando foi mobilizado para a guerra colonial em 1973

Quanto tempo ficaste em Moçambique?

Fique 18 meses.

Que papel tinhas na guerra?

Eu era enfermeiro.

Quantos anos tinhas na altura?

22 ou 23 anos.

O que foi o mais difícil de estar fora esse tempo todo?

A distância familiar e as operações junto dos guerrilheiros.

Fizeste algum amigo por lá?

Fiz muitos amigos.


«(…) não achava justo irmos destruir as casas e as manchambas dos guerrilheiros (…)»


Quais foram as situações mais perigosas em que estiveste?

O dia em que fomos fazer um golpe de mão e eu fui sorteado para ir no grupo de intervenção. Disse ao comando da operação que não achava justo irmos destruir as casas e as manchambas dos guerrilheiros. O comando refletiu e esse golpe não foi concretizado.

 A que mais trabalho me deu foi uma noite, estávamos num destacamento, no mato, e depois um dos nossos (pausa); havia militares nossos que faziam vigia noturna, nós éramos um pelotão misto de europeus e africanos. Um dos africanos tinha estado a fazer o turno dele e deixou-se dormir (ri-se), o europeu, quando chegou ao turno dele foi, mas não foi para o dito morto das formigas, e depois o europeu ficou ali e às tantas o africano, quando acordou, voltou para a caserna e o europeu disse-lhe «quem vem lá faça alto» e o africano não lhe disse nada e avançou. O europeu puxou da arma e mandou uma rajada, atirou-lhe aqui  (aponta) desta parte da barriga do lado direito era um buraquinho e do lado esquerdo estavam as tripas todas de fora… Foi a pior noite que eu tive porque o homem que levou o tiro mesmo com as tripas de fora da barriga queria a arma para matar o outro e eu tive que o sedar com morfina. Isto aconteceu por volta da uma da manhã, as noites lá…lá faz-se a noite bem mais cedo e a madrugada também vem mais cedo e isto aconteceu por volta aí das meia noite e meia, 1 da manhã. Ele ‘teve vivo até vir o helicóptero, que só veio às 5 e picos da madrugada, quando já era praticamente dia e só morreu quando o helicóptero levantou voo. Essa foi a pior situação.

E quais foram as mais gratificantes?

Foi vir embora… foi voltar para Portugal.

Qual foi a melhor parte de voltar para casa?

Ver os filhos, a mulher e os familiares todos.

«Aprendi a ser mais homem.»

Ainda falas com algum dos teus colegas da altura?

Ainda fazemos, todos os anos, um almoço de confraternização.

Qual foi uma lição que aprendeste na guerra?

Aprendi a ser mais homem.


1.º Prémio no Concurso Escolas “Prémios Alfredo da Silva”

 



O Agrupamento de Escolas da Bemposta congratula o aluno RAFAEL COUTO do 12.º C, do Curso Profissional de Artes do Espetáculo – Interpretação, pela obtenção do 1.º Prémio no Concurso Escolas “Prémios Alfredo da Silva”, na categoria de “Fotografia e Vídeo”, cujo donativo reverterá a favor de toda a Comunidade Educativa do Agrupamento, proporcionando oportunidades de promoção de um processo educativo motivador e exigente. A excecional qualidade do vídeo apresentado pelo aluno destacou-se de entre centenas de trabalhos, evidenciando o trabalho do Agrupamento e, sobretudo, da Equipa de Projetos pelo empenho e pela dedicação demonstrados.

Endereçamos igualmente um especial agradecimento à Fundação Amélia de Mello pela iniciativa que pretende evidenciar a importância da educação como pilar crucial de toda a sociedade.

PARABÉNS, Rafael!

A Diretora

Sandra Tenil





quarta-feira, 30 de junho de 2021

Provas de Aptidão Profissional

No dia 8 e 9  de julho 2021, os alunos do 12º C, da escola da Bemposta,  vão apresentar Provas de Aptidão Profissional relativas aos três anos percorridos no curso Área de Espetáculo/Interpretação.

Esta apresentação consiste na elaboração  de um tema à escolha com uma componente teórica e outra prática. Este trabalho serve para que  os alunos possam pôr em prática tudo o  que aprenderam ao longo do curso. Cada um opta por uma peça de teatro, um musical ou uma dança que tenha ligação com o tema selecionado.

No fim destas apresentações, os alunos terão a sua avaliação concluída, encerrando o esforço e dedicação que tiveram durante o seu percurso escolar. 


segunda-feira, 28 de junho de 2021

A peça Auto da Barca do Inferno subiu ao palco da Escola da Bemposta

 


Os alunos do Curso de Interpretação Ator/Atriz, do 10.º ano, representaram a peça Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente. Após uma apresentação aos alunos que frequentam o nono ano, os encarregados de educação dos atores foram brindados com uma sessão especial.

Um ano de trabalho árduo, interrompido mais uma vez pelo covid, o que dificultou mais a interação entre os alunos na aquisição das técnicas da arte da representação, chegou ao final de forma muito positiva. A peça Auto da Barca do Inferno foi trabalhada a partir do texto original e agarrada com unhas e dentes pelos alunos que frequentam pelo primeiro ano o Curso de Teatro. 

 Sendo mais alunos do que as personagens da peça, a solução encontrada pelo grupo de trabalho, coordenada pela Professora Joana Moleiro, passou por dividir as falas do anjo por duas atrizes e as do diabo três. Mesmo não sendo uma peça fácil de trabalhar, atendendo à sua linguagem, a determinação dos novos atores fez com que 'a barca' chegasse a bom porto.


sexta-feira, 25 de junho de 2021

Concurso “A Água que Queremos”

 

O AE da Bemposta participou no 1º concurso  “A Água que queremos”, organizado pela Rede Global dos Museus da Água, com trabalhos de vários alunos nas categorias de desenho e fotografia, que refletiam a visão dos jovens sobre as alterações climáticas.

O aluno André Correia, da turma D, 7º ano,  mostrou a sua criatividade na categoria de desenho e foi selecionado para representar Portugal, e a nossa escola,  no concurso internacional "A água que queremos". 
Hoje temos o prazer de anunciar que recebeu uma Menção Honrosa pela sua participação, criatividade e desempenho.

LB






quinta-feira, 24 de junho de 2021

Zoomarine Educa


 Texto: Rita Caeiro, Nº 21, 5º C

No âmbito do projeto “Educar”, o parque aquático Zoomarine promoveu, entre os dias 14 e 20 de Maio, diversas apresentações nas escolas do Agrupamento da Bemposta, realizadas por videoconferência.

Este projeto teve por objetivo apresentar aos alunos vários temas ligados à biodiversidade e ao próprio planeta, de forma a contribuir para a sua educação ambiental.